quinta-feira, 23 de abril de 2015

Caminha Anchieta
ao longo do tempo...
Seus passos marcam-
me por dentro

Adentro tempo,
e o meu adendo:
caminha Anchieta,
intercedendo...

Pelas almas
vagantes sem rumo...
Sua Luz guiando-as,
no escuro

Caminha Anchieta,
vindo pra sempre...
Seus passos n'areia,
sempre, sempre...

No chão pisando,
fecundando-o...
Por onde passando,
passarinhando

Caminha Anchieta,
nunca mais o Brasil...
Viu tamanho zelo,
co'o gentio

Caminha Anchieta,
nunca mais sem lar...
A arara-azul-
de-lear

Caminha, ó Anchieta,
não, não pares!
Posto que, pro índio,
Zumbi dos Palmares

Revolucionar vem,
meu Anchieta...
Inverter a rotação
do planeta!