sábado, 11 de abril de 2015

Seja o caminho de Anchieta
o caminho nosso...
Seja o almoço um arroz
ao alho e tremoço

Sejam os passos de Anchieta
os passos teus...
Sejam os braços estendidos:
índios e europeus

Seja a ambição de Anchieta
a minha cobiça...
Só água cristal em garrafa,
tampa de cortiça

Seja mais singela a vida,
tal cerne de Anchieta...
O verde na mata e o azul
no céu do planeta

Seja o caminhar mais lento,
venerar a paisagem...
O Padre parou na gruta:
adorar a Imagem

Seja o tempo pras falésias,
nos mares entalhadas...
Nos horizontes as nuvens
lindas assim, grenadas

Seja o homem pra amizade,
e o lirismo, pra poesia...
Seja fora da tela a vida,
sem heresia!