domingo, 19 de julho de 2015

mas as pás, que cavam sonhos 
de mármores...

Decepando vão, as copas
d'árvores...

Os pés que parem da terra
mármores

septam-se...
Ficam anéis. Dedos deletam-se.