segunda-feira, 3 de agosto de 2015

esperançando nos Jogos

Vale medalha canarinha
esse sorriso gratuito
do brazuca franzino
vulgo flanelinha

Vale medalha d'ouro
essa mulher do morro
cuja casa alugando
luz parcelada saldando

Vale medalha da cor
 ourada tez morena
queimando sol Ipanema
d'água esse vendedor

Vale medalha essa gente
-incluo indigente
Essa invisível gente
De 'sperança latente

Que corre e dá seus pulos
Paga imposto absurdo
Inda recebe turista
co'a mão de florista

 Louros da vitória
pra pipoca no prato,
quem não se faz escória...
No xadrez lava-jato

Lastro d'ouro,
povo isento do vício:
diabo no couro
mentira em comício

Medalha ourada
quem 'spera na Copa...
Perdão, não é Copa 
mas capa esperançada

 Ferve a economia os Jogos
quem há muito economiza
A gringaiada pira:
o feijão da Luíza

Povo que prepara
casa pra visita
Fazendo trocados,
trocando telhados...

Vale medalha canarinha
esse sorriso gratuito
Do brazuca franzino
Vulgo flanelinha...