segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Natal saudoso

Eram cartões de Natal,
na caixinha de correio...

Delicados, meigos,
chegavam em meio

a um clima ameno,
que a sazonalidade

frescor nos ares, 
e ares de amizade...

Oh, antigos figos,
oh velho Natal...

Ir a Missa do Galo,
sair na paz ao final

Era mais de meia-noite
mas nada de anormal

A liberdade circulava,
tal um vento boreal...

Oh, Natal saudoso,
chega a doloroso

Dos presentinhos simples,
mas nacionais

O comércio era festivo,
presépios tradicionais

Não virtuais as pessoas,
ao tato, bem reais

Por amor o leitor
aturando meus ais

Não hormonais perus.
E crianças nos quintais.

Natal antigamente,
especiais Natais...

Eu fui comprar juta e palha:
mas não vende mais