quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Natal sem crise

Natal sem crise 
o de Jesus
Nasceu sob lua,
era sua luz

Sem conta dágua 
e aluguel
Relaxou José,
estrelado céu

Não se estressou Maria,
enxoval de linho
Cobriu-O com lã macia,
carneirinho

Trocaram festança
por singela ceia
Dormiram cedo
sem álcool na veia

Coacharam sapos,
agradáveis sons
Orquestra afinada
nos reveillons 

 Eram tempos livres
de juros nos cartões
De graça viver
naqueles grotões

Advento sem crise
com Maria e José...
Na paz ressonara
o canário-sapé

Hoje complica 
o homem, a mulher...
Salgada segue a vida
no voucher