segunda-feira, 23 de novembro de 2015

ódio.com

(sobre a crise espiritual
educacional, ético-moral
que ebolizou
na rede anti-social)

Já reparou o leitor,
já se espantou e chorou
ante ofensa, injúria...
Quem nunca levou

uma patada, um coice?
Descarrego de ódio!
É a catarse explosiva,
lugar mais alto do pódio

Esse ano, mais um ano
recorde na insulta
Ser mulher, ser um negro
feriu norma culta,

o desamado que na net
despejou seu furor...
É covarde quem destila
veneno de bolor

Palavras intolerantes
nos pegam de surpresa...
Onde o debate sadio?
Cadê tu,ó sutileza?

Esse canal de escape,
seção de descarrego,
tudo registrado na rede, 
isso não é brinquedo...

Distribuir a fúria
atrás dum computador,
não resolve problema
(melhor, pescador)

Eu que já tirei
o meu time de campo...
Não comento mais:
quieta no meu canto