terça-feira, 22 de dezembro de 2015

35 anos sem Lennon

Acreditar que os sonhos não morrem,
e louco algum, irá sepultá-los...
Nos óculos redondos nos aros,
e nas flores que não se colhem,

acreditar que os sonhos não morrem...
Alguns são capazes de estampá-los:
as camisas e os galopantes cavalos,
que livres das batalhas, correm...

Nossas mãos vão se entrelaçando,
nossas cores são variadas... 
E os sonhos se transfigurando,

pois as massas, já desarmadas...
E as negras bandeiras, se alvejando,
mas que teimosas, as utopias legadas !