sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Albatroz ancião

Não, hoje eu não quero o poema
chafurdando, lama de corrupção...
Hoje o soneto não almeja menção
-o gás fétido do sistema...

Um albatroz...Seu vôo de cinema !
O companheiro, que à depravação
se acostumou, seu mor-Canastrão,
e co'o arrastão em su' Ipanema,

não vira a notícia do aniversário,
64 anos do albatroz Wisdom,
não, ele não vê no noticiário,

a ave de encantar, e o seu dom...
No puro azul, supra-partidário,
oh...Deus do mar, Poseidon !