terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Ano da safadeza

Não, nunca tanta corrupção!
Nunca se viu tanto esquema,
até em mina de sal-gema
mete alguém, a leve mão...

O povo, no humor do limão...
Eu levanto com a siriema,
passo a omelete sem gema
pra sustentar petrolão!

Eu cansei de ver jornal,
a farinha do mesmo saco,
os da Casa de capital...

Ponho a viola no saco,
por esse pecado mortal:
só no sofá dou pitaco...