domingo, 7 de fevereiro de 2016

Poema da gratidão

Nossa gratidão
à Paneleira de Goiabeira...
Nas suas costas, a massa,
pegando rabeira...

Comerciantes vendem
a sua linda moquequeira...
Sem ela, a Paneleira,
e a multidão sem eira...

Nossa gratidão
à Paneleira de Goiabeira...
Eu a vi guerreira,
ao calor da fogueira...

É o esteio da família,
a casada e a solteira...
Passando, de mãe pra filha,
a ocupação altaneira...

Mas, nossa gratidão,
à Paneleira de Goiabeira...
Que entalha em sua mão,
da nação, pé-de-meia !