quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Augusto menino

Menino Augusto
transpirado, robusto...
A fitar no jardim
os colibri carmim

A mãe atrás de ti,
ó augusto guri...
Detrás do arbusto
(que susto), curumim!

O nino Gusto 
co'a sua joaninha...
Seus seis anos, 
já o hábito tinha:

o gosto de bolinar
o que se mexia...
Permuta de olhares,
uma encantaria

entre as espécimes,
se desvendar mútuos...
Do jovem Augusto
ao fausto vetusto,

 aventura desvelar
a maviosa vida...
A ti Augusto,
o teu próprio Busto!

E o pequeno Justo
a brincar no quintal...
Trajado ele (que
susto!), um Neandertal