terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Atualmente estou escrevendo poemas sobre o seguinte tema: AUGUSTO RUSCHI


Augusto Ruschi na minha constelação

IRMÃ DULCE
CHICO MENDES
DALAI LAMA
MARIA QUITÉRIA
NELSON MANDELA 
CARUSO
ZILDA ARNS
BENJAMIM FRANKLIN
ALBERT EINSTEIN
LEILA DINIZ 
CHICO XAVIER
MARIA DE NAZARÉ
TIRADENTES
INGRID BERGMAN
ELVIS PRESLEY
MARIA LENK
PAULO FREIRE 
ANNA PAVLOVA
CAMÕES
SANTOS DUMONT
JOANA D'ARC
TANCREDO NEVES
ZUZU ANGEL 
AUGUSTO RUSCHI
NHÁ CHICA
MARECHAL RONDON 
ANNE FRANK
JOÃO DO PULO
PRINCESA ISABEL
SÓCRATES
CHIQUINHA GONZAGA
JOSÉ DE ANCHIETA
MAHATMA GANDHI 
CORAZÓN AQUINO
JOSÉ DE PAIVA NETTO
DANDARA
RUY BARBOSA
MARIA CAROLINA DE JESUS
MARTIN LUTHER KING
MARIE CURIE
NÍSIA FLORESTA
LINUS PAULING
DALVA DE OLIVEIRA
MOZART
FRIDA KAHLO
GOETHE
MARÍLIA PERA
CONFÚCIO
SIGMUND FREUD
MARIA QUITÉRIA
CHARLES DARWIN
TARSILA DO AMARAL
PABLO PICASSO
EVA PERÓN 
PAPA JOÃO XXIII
CORA CORALINA
DESMOND TUTU
BEETHOVEN
GOLDA MEIR
JOHN LENNON
BERTHA LUTZ
MADRE TERESA DE CALCUTÁ
BARÃO DO RIO BRANCO
ANITA GARIBALDI
DOM HÉLDER CÂMARA
SIMONE DE BEAUVOIR
MIKHAIL GORBATCHEV
DOROTHY STANG
FRANCISCO DE ASSIS

E MEU MESTRE JESUS

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

O porquê de poemar o Ruschi

Um homem torna-se poema
quando ele é poesia em pessoa
                                   (Pessoa)

Torna-se poema um homem
quando livre na mata:
                                  pavoa

Um homem torna-se poema
se ao ambiente se afeiçoa:

pois boa

Rima-se fina garoa
sob livre leoa...

Rima-se e não enjoa,
a não acepção de pessoa...

Rima-se voa azulão,
no azoto azul revoa...

Que já é teu este rincão,
e da rubra perdiz e papoula...

domingo, 26 de fevereiro de 2017

A mão de Ruschi

Mão que abre a mão

Mão de irmão

Mão e coração

que bulbos lança
ao chão:

lírio-sangu-salmão

Mão que lança mão:
veneno de plantação
cobiça de homem
                (um dragão)

Justa mão, condenação:
urtiga jaz, e é de mamão...

Não troca o pé pela mão
Não abre mão não
-d'Amazônia, noss
insônia e pulmão

Mão...
que não larga de mão:

a defesa dos seres
despercebidos à visão

Mão de faca
(mas é faca
pro queijo na mão)

mão/mãe boa
Pai proteção

sábado, 25 de fevereiro de 2017

E se o Ruschi voltasse numa máquina do tempo?

Da máquina do tempo,
além seu tempo...

Inventei a geringonça
(salvasse a onça)

Equipamento, que do
passado ressuscita...

Eco da ecologia,
de Kriptonita...

Viria o Ruschi,
no imaginário...

Clara luz,
pra obscuro cenário...

La nina, El nino,
incompreensíveis,

desenhados seriam,
formas legíveis...

Problema de lixo,
consumo em excesso,

o desfecho do Excelso,
desprolixo...

A terra do índio,
ao ameríndio:

com menção de repúdio
-etnocídio

E do tempo a máquina,
vindo alento...

O curso da arca
mudasse o vento

No Niágara a barca
não mais despenca

A mão de tal alma
de calma, sedenta...